segunda-feira, 15 de agosto de 2011

O grande segredo...
Como se consegue saber?

Por
K. C. Harland - Estados Unidos

Até há pouco tempo, uns 12 anos atrás, eu ouvia falar que haviam certos individuos "exímios" criadores de aves... eles, com um casal de aves, criavam, desde o nascimento, da eclosão do ovo, todo ano, enquanto a maioria dos criadores amadores também tinham casais de aves, chocando anos seguidos, fazendo ninhos, copulando, etc., sem, todavia, obter qualquer resultado. Certamente havia alguma fórmula secreta que, obviamente, eles não queriam revelar.

Quero deixar claro que hoje, também, escuto as mesmas reclamações, porém apenas daquelas pessoas, novos criadores, que não se aprofundaram na leitura e não se atualizam com o que está escrito.

Quando me apercebi que este fenômeno existia, resolvi escutar mais do que falar... e tomei como desafio descobrir este segredo, ou fantasma, se é que realmente existe. Cheguei a conclusão que havia dois tipos de amadores ou criadores; aqueles que mantinham a "boca fechada" porque não entendiam o sucesso, o porquê do sucesso, portanto; e aqueles muito agradáveis, solícitos, que conversam muito, se orgulham, se alegram do êxito obtido e guardam, realmente, o "segredo" entre o grupo.
O segredo "primario", elementar, é mantido apenas entre os animais e só eles sabem: o seu sexo!

Com o desenvolvimento da cirurgia na identificação do sexo (pioneira nas décadas 60 e 70 pelo Dr. Raymond Kray) a identificação dos sexos permitiu a muitos criadores igual sucesso. Durante muito tempo criadores confiavam na identificação do sexo apenas pelo comportamento e a simples inspeção visual, o que hoje sabemos ser totalmente falso. Cada vez mais foram juntados casais, para que começasse a aparecer o sucesso e êxito entre os criadores.

O segundo segredo é saber como monitorizar a saúde das aves. Atualmente a avicultura registra os fatos tão bem e os criadores dão muito mais valor ao registro dessas ocorrências do que na medicina aviária.

Como eles aprenderam mais, essas atitudes mudaram e apenas, na verdade, ainda guardam velhas manias, podem identificar a doença por simples inspeção, e eles podem tratar as aves melhor do que qualquer veterinário, então digo a eles que as perdas que sofreram eu posso imaginar. Certamente eles sempre têm uma justificativa para as perdas, mas os sinais das velhas manias estão sempre presentes. Eles justificam as perdas pelo que ocorre.

A verdade é que sem os testes específicos você não pode determinar qual a doença específica, ou identificar a própria medicação que você pode usar corretamente. Fazer outro juizo é ignorância... não ignorância dos fatos, SIGNIFICA DESCONHECER O SABER.

Existem muitos caminhos de se obter sucesso na criação de aves. Muitas coisas são consideradas boas para alguém e não o são para outros. Em cada etapa existem variações. Eu tenho facilidade de visitar mutos criadores , alguns são mero negociantes, as aves são guardadas em condições mínimas de proteção, alimentação inadequada, aves estéreis são despachadas para clubes locais, vendidas ilegalmente, ou mandadas para depósitos. Sem alimentos próprios para aves jovens, sem qualquer chance para uma ave doente ficar boa, se eles se reproduziam, perderam totalmente esta condição, são colocados simplesmente num completo empilhamento.

O oposto disso seria facilitar o mínimo de cuidados individuais, são oferecidas às aves uma ampla variedade de alimentos, os jovens são alimentados à mão e as aves doentes são imediatamente separadas.

Cada um desses procedimentos terá sua recompensa e suas perdas efetivamente. Aquelas pessoas que se envolvem emocionalmente, exageradamente com suas aves, que criam desdes jovens, alimentando-as nas mãos, e que vendem esses animais como se fossem seres humanos, têm uma satisfação pessoal muito íntima e se envolvem de tal forma que não lhes sobra tempo para nada (talvez seja isso mesmo que elas queiram. Quando você não tem tempo para pensar você não pensa... sobre coisas que podem preocupar ou machucar sua vida). Elas podem ou não ganhar mais dinheiro do que os infecundos, métodos mais eficientes, porém emocionalmente elas encontram o que procuram.

A pessoa que segue uma linha de orientação teórica, praticamente não se envolve emocionalmente com as aves. Usa seu tempo disponível com mais eficiência (ele não mima nada), daí haver mais tempo disponível para outras aves. Faz mais dinheiro (há mais rentabilidade econômica) e normalmente tem outras atividades além das aves.

Mostrando que ambas as maneiras de proceder são cuidadosas, mantendo alimentação específica, quantidades suficientes, limpeza diária, água fresca, cuidados próprios, não havendo nada errado com este método... é só uma questão de preferência de cada um.

A maioria dos criadores de alguma forma se fixam nestes dois métodos. Eles possuem aves para reprodução e venda, alguns criam as aves de maior preferência popular como animais domésticos e muitos têm alguns casais de aves raras, muito caras, para simples especulação financeira.

Poucos anos atrás, quando escrevi sobre esse mesmo fenômeno, eu estava perplexo quanto aos números de Agapornis que estavam sendo comercializados como animal de estimação. A sua reputação era a de uma pequena ave impertinente, rabujenta, muito briguenta, que bicava o seu próprio dono e muito barulhenta. Agora já tenho outro pensamento sobre Agapornis, são aves dóceis, amáveis e inteligentes. Admitindo que nem tudo é perfeito, há ainda um grande número delas que foge do Agapornis padrão, tem atitudes de irritação, autoridade, mas elas estão lentamente ganhado popularidade e assemelhando à simpatia da Cacatua e Periquitos como animais de estimação. Confesso que eu mesmo possuo um Agapornis e tenho muita estima e encantamento pela sua boa natureza.

Observei criadouros em colônias (grandes viveiros, em grupos), onde os proprietários alegam sistematicamente o insucesso e que apenas é possível criá-los bem em gaiolas. Variações na localização da caixa do ninho, relativo à altura de fixação do mesmo, permitindo  boas condições de habitabilidade do casal, ou mesmo de uma ave, permitindo condições de igualdade a cada um, deslocamento norte, sul total sucesso na reprodução. É tambem evidente que não sejam necessários compartilhamentos exageradamente grandes, mas devem ser individualmente compatíveis.

É através do conhecimento de muitas variações, o tanto quanto possível, que seremos capazes de conseguir melhores matrizes (mais puras).

Algumas pessoas dão a impressão que só existe um método correto e somente aquele é perfeito. É mais provável que haja acerto com um método definido do que com vários métodos ao mesmo tempo. Torna-se necessário, portanto, ler tudo sobre papagaios se você está criando. Não limite a sua leitura apenas ao título do artigo. Como criador de araras descobri informações úteis lendo sobre canários.

Outra chave importante para o sucesso, conhecendos-se o sexo das aves, fazendo tudo que você pode fazer para ter um casal sadio, sendo que é muito importante a privacidade e o mínimo de interferência para com as mesmas. Alguns de nós, temos nossas aves e gostamos de levá-las, etc., nos alegramos muito com isto. Todavia isto não é construtivo. Coloque suas aves para observação ou, se você esta fazendo algum estudo, utilize um sistema de vídeo monitoramento, então você poderá observá-las sem molestá-las. Num artigo de Bird Wold, fatores que influenciam o comportamento na reprodução - (CRC Coleção dos Grous, Guy Greenwell, março 1984) foi ilustrado e relatado que frequentes interrupções eram a maior causa para a demora no crescimento e produção de ovos. Cada distúrbio causado significa que a ave teria que começar os rituais para o acasalamenteo outra vez, assim dilatando a essencial ou provável cópula, construção do ninho e postura do ovo. É como a estória da senhora que telefonou para seu veterinário às três horas da madrugada para dizer que os cães estavam brigando e se ele sabia o que fazer. Ele respondeu que ela devia desligar o telefone, colocando-o junto aos cães, e ele a chamaria novamente, fazendo o telefone toca. "Todo este trabalho?, perguntou ela. Para mim foi" respondeu ele.

Algumas aves podem exigir cuidados especiais, como material e tamanho de ninho. Para melhor conhecimento é necessário pesquisar. Eu conheço não com relatos de outros criadores, pois muitos deles não são cuidadosos, mas eu me detenho em qualquer estudo disponível e leio sobre o comportamento das aves silvestres. Muitas vezes uma palavra ou frase pode explicar o que previamente seria um desafio. Cheque uma livraria, fonte de referência das melhores universidades, UCLA e a universidade de Cornell ambas têm listas extensas de referências. A próxima referência seria uma livraria local. A terceira seria os livros disponíveis  nas lojas especializadas de animais domésticos.

Também é bom rever práticas de gerenciamento e dietas com veterinários em bases regulares. As vezes fazemos simples manipulações, coisas que podem causar problemas graves de saúde espelhando doenças, ou pela omissão de ingredientes importantes na dieta. Geralmente se acredita que a maioria das aves de gaiola viverão, poderão procriar, crescem rápido com dieta essencialmente ou normalmente pobre. É a vontade de sobreviver que mantém viva a maioria das aves de gaiola e não a habilidade do criador que se acha bom, que está fazendo tudo certinho sem qualquer  "fantasia" (H"i-falutin" e "fantasia" são termos usados com frequência por pessoas que estão sempre dizendo "não quero ser pertubardo" ou "não quero gastar dinheiro").

Veterinários, especificamente os ornitólogos, que estão realizando um grande trabalho apresentado pela AAV (Associação dos Verinários Ornitólogicos), estão realmente bem informados das novidades mais recentes sober as necessidade de criar aves bem nutridas. Como aprendemos bastante sobre necessidades alimentares, o que até então era desconhecido, no entanto, enfrentam os um problema maior, isto é, saber como repor esta deficiência. Sentando com seu veterinário e propondo uma dieta ou procurando uma, você pode conseguir os benefícios sugeridos e comentados para um balanceamento ideal, isto é, trazendo o máximo de benéficios, o mínimo de repetição e implementação correta. Do mesmo modo, tendo um veterinário acompanhando a sua rotina você poderia salvar muitas aves um dia... Um descuido habitual pode se tornar muito prejudicial, por isso é valioso que haja alguém para supervisionar sua rotina sob pena de grandes prejuizos.

Os segredos estão aí! Eduque-se a si próprio, use os recursos técnicos dos profissionais disponíveis. Combine isto com o bom senso e considere as necessidades das aves em primeiro lugar.

Tradução: J. F. Salviano

--
Fonte: Revista Pássaros - Ano 15 - nº 81 - 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário