segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Ácaros de traqueia em Aves - O que há de novo

Por
Dr. André Salabert



Os ácaros são os ectoparasitas de maior incidência em aves silvestres, comerciais e domésticas. Podem causar diversos tipos de doenças nas aves que por eles são acometidas, dependendo da espécie do ácaro teremos diferentes tipos de lesões e diferentes locais do corpo do animal a serem acometidos. Existem ácaros hematófagos, ou seja, que se alimentam do sangue da ave, ácaros de pena, que se alimentam das penas das aves e causam lesões nessas penas além de coceira e estresse para a ave acometida, ácaros que são causadores de sarna e finalmente os ácaros de traqueia, causadores de problemas respiratórios. 

Existem algumas espécies de ácaro que podem parasitar o sistema respiratório das aves, mas sem dúvidas a espécie mais importante é Sternostoma tracheacolum. O ácaro fica alojado normalmente na traqueia da ave, mas em casos mais avançados pode ser encontrado nos sacos aéreos, nos pulmões e até mesmo nos osso pneumáticos. Eles estão presentes no meio ambiente e se alimenta principalmente de poeira e detritos, ou seja, podemos concluir que sua ave não necessariamente precisa entrar em contato com outra ave que esteja com ácaro de traqueia para pega-los, pois os mesmo estão presentes no meio ambiente. Em criações geralmente são transmitidos pelos pais quando alimentam os filhotes.


Os ácaros podem até ser observados se movimentando no interior da traqueia, mas na maioria das vezes o proprietário vai observar as consequências trazidas pela sua presença no sistema respiratório da ave. Normalmente é gerada uma inflamação do trato respiratório que terá como principal consequência a perda da voz da ave, no inicio normalmente o animal apenas começa a ficar rouco, mas se não for corretamente diagnosticado e tratado isso irá evoluir, podendo chegar ao ponto da ave perder por completo o canto, além disso a ave também pode apresentar dificuldade para respirar e em casos de extrema parasitose pode ocorrer a morte da ave por asfixia devida justamente a alta infestação. 

É importante lembrar que na grande maioria das vezes a infestação por ácaros de traqueia acaba gerando infecções secundárias, isso ocorre porque a ave acaba por ter uma queda na imunologia, que acaba por abrir espaço para que Mycoplasma, bactérias, vírus e fungos acometam o animal. Portanto não e recomendado que o proprietário tente tratar esse tipo e problema em casa, pois na maioria das vezes ele acaba por tratar a ave apenas no aspecto do ácaro e não percebe que a mesma está com outros problemas causados por essas infecções secundarias, que se não diagnosticadas e tratadas corretamente podem acabar evoluindo e até mesmo levando o animal a morte.

O tratamento dos ácaros de traqueia tem por base a ivermectina, mas é ai que também encontrar muitos problemas, os proprietários quando tem essa informação acabam por tentar tratar a ave em casa, sem prescrição médico veterinária, além da questão das infecções secundárias temos o problema da dose de ivermectina a ser usada, além da via de administração. Proprietários desavisados, e de posse da informação de que a ivermectina e usada no tratamento acabam por administrar doses absurdas em seus pets, pois na maioria das vezes eles só têm acesso a ivermectina usadas em animais de produção, e fazem uma ou duas gotas do produto, geralmente na pele da ave, isso é altamente contra indicado, pois a concentração desses remédios é muito alta, tendo em vista que são administrados em animais de em média 500 Kg, isso quando não fazem por via oral, piorando ainda mais a situação, na maioria das vezes as aves medicadas dessa maneira morrem intoxicadas. 

É importantíssimo o acompanhamento de um médico veterinário, de preferencia especializado, para que o mesmo possa calcular a dose certa, a via de administração e indicar o medicamento correto para seu pet, além disso, existem outras doenças respiratórias que podem causar sinais semelhantes aos dos ácaros de traqueia, portanto o exame físico da ave e o histórico trazido pelo proprietário vão ajudar o veterinário a chegar ao diagnostico correto, para que os medicamentos certos sejam administrados.

Mas doutor como posso prevenir esse tipo de problema? Levando em consideração que os fatores predisponentes são má nutrição, doenças concomitantes, instalação que propiciam a proliferação de parasitas, estresse, criações superlotadas além de falta de higiene devemos evitar que isso aconteça. Ofereça sempre uma dieta completa e variada para sua ave, não deixe as gaiolas superlotadas, mantenha a ave em um ambiente calmo e tranquilo, não falte nunca com higiene da gaiola e dos ambientes onde as gaiolas ficam e claro, sempre leve sua ave para consultas de rotina com um médico veterinário especializado, exames de rotina também devem ser feitos, pelo menos de 6 em 6 meses.



O texto foi elaborado pelo Dr. André Salabert (CRMV-RJ 12554), membro da equipe do Consultório Veterinário Birds e Cia/NIAAS. Estamos aberto diariamente das 08:00 as 20:00. Dr. André Salabert atende de segunda a quinta, das 13:00 as 20:00, e aos domingos, das 08:00 as 13:00. O Consultório Birds e Cia é o único consultório veterinário especializado no atendimento a animais silvestres aberto das 08:00 as 20:00 diariamente. Procure sempre um médico veterinário especializado!!! www.niaas.com.br e www.birdsecia.com.br

Nenhum comentário :

Postar um comentário