sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Balanço Nutricional na Alimentação de Aves

Qual a sua importância?

Muitos criadores têm a tendência de transpor a alimentação das aves silvestres para o cativeiro sem nenhuma consideração à parte, e acabam cometendo um grande equívoco. Os animais na natureza apresentam rotinas diferentes daqueles que estão em cativeiro, já que sofrem ação mais acentuada da seleção natural e possuem maior gasto energético (na locomoção e procura por alimento).

A maioria das misturas de sementes disponíveis apresenta em sua composição excesso de gordura e deficiência de vitaminas, minerais e aminoácidos. Muitas vezes, os poucos minerais presentes não chegam a ser absorvidos, sendo eliminados. Além disso, as aves acabam por escolher suas sementes preferidas, o que compromete a intenção do balanceamento.

Nas rações extrusadas, a composição é a mesma em  todos os grânulos. A proposta nutricional é definida de acordo com as exigências das espécies, o que garante o fornecimento ideal de proteínas, gorduras, fibras, minerais e vitaminas. Mas qual  é a Importância desses nutrientes?  


Conhecendo os nutrientes

As proteínas são compostos facilmente sintetizados pelo organismo. Porém, sua unidade básica, os aminoácidos, muitas vezes não podem ser sintetizados, devendo ser, obrigatoriamente, adquiridos através da alimentação. Algumas proteínas, como colágeno, queratina, albumina, actina e miosina, compõem a parte estrutural dos tecidos. Outras estão ligadas à coagulação sanguínea, no transporte do oxigênio e outros gases, na obtenção de energia, na quebra e formação de novas moléculas, além de constituir um dos mais importantes veículos de defesa do organismo, os anticorpos, que reconhecem e neutralizam vírus e bactérias.

Os lipídios, ou gorduras, são moléculas altamente calóricas depositadas nos tecidos como uma forma de armazenar energia quando a quantidade fornecida pela dieta é superior ao gasto energético. Esta capa de gordura protege os animais contra variações de temperatura, uma estratégia fundamental à manutenção da vida em climas frios. Além disso, os lipídeos fazem parte da composição da membrana celular, e auxiliam no controle de entrada e saída de compostos da célula. Também ajudam no transporte e síntese das vitaminas A, D, E, K e dos hormônios reprodutivos. Porém, o excesso de gordura corporal, ou seja, obesidade, é prejudicial ao bom funcionamento do metabolismo, prejudica o sistema imunológico, além de sobrecarregar o fígado.

Carboidratos são essenciais à vida, por serem a primeira fonte de energia e a unica utilizada pelos tecidos cardíaco e neurológico. Quando existe excesso destes compostos, eles passam a ser armazenados na forma de gordura. As fibras são tipo de carboidratos não sintetizados pelo organismo e não digeríveis. Sua principal função é o controle do fluxo intestinal, para melhor absorção dos nutrientes. Também podem servir como substrato para o crescimento de bactérias benéficas à saúde (Probióticos). 

Não é aconselhável que sejam utilizadas grandes quantidades de fibra nas dietas, pois excessos podem dificultar a absorção de alguns minerais, principalmente cálcio e zinco.

Os minerais e vitaminas são denominados micronutrientes, por serem requeridos em diminuta quantidade. Estes são responsáveis pela atividade e inativação de enzimas, hormônios e outras moléculas, e estão envolvidos em quase todas as vias metabólicas. 

O organismo de cada animal é composto por uma complexa rede de substâncias, que se entrelaça e combina de forma extremamente equilibrada e perfeita. O fornecimento desordenado de nutrientes faz com que o equilíbrio seja perdido, ocasionando debilidades em órgãos especificos, e em todo o sistema metabólico, com consequente diminuição imunológica e do bem estar. Uma dieta balanceada traz consigo o correto funcionamento das cadeias de reações do organismo, proporcionando boa saúde. Por este motivo, é importante conhecer o balanceamento nutricional do alimento fornecido aos seus animais e lembrar que boa alimentação é o fator principal para a manutenção da saúde e do bem estar.

--
Fonte: Jornal Informativo Alcon - Julho 2010 - nº 17  

2 comentários :

  1. Salve Rafael!!!

    Tantos artigos aqui e nao encontrei um específico que fale de alimentação que deve ser servida às fêmeas com filhotes. Normalmente se fala em frutas extrusada e larvas. Tenho dúvidas por exemplo, quais frutas podem e quais não, que quantidade de larva e se há necessidade de algum complexo vitamínico na água.
    Grato se puder ajudar,

    Alinor

    ResponderExcluir
  2. Olá André!
    Aqui na minha criação eu forneço legumes/frutas como milho verde, abobrinha, chuchu, jiló, berigela, maçã, banana, goiaba, manga, mamão eu não forneço verduras de folha em nenhuma época do ano, a farinhada é servida pelo menos 3x ao dia acrescida de ovo cozido e acrescento uma papa para filhotes, o suplemento que uso é o Organew pet + Aminomix pet na ração e na farinhada eu so coloco sementes para a fêmea depois que os filhotes estão com 15 dias, as larvas eu forneço umas 20 na parte da manhã, 20 ao meio dia e mais umas 20 no final da tarde muitos criadores dizem que não é necessário um número tão grande de larvas, mas tenho notado aqui que filhotes que consumiram essa média de larvas nos 5 primeiros dias eles desenvolveram muito rápido, tambem não deixo faltar grit mineral e osso de siba, complemento com uma papa de insetos (http://www.nobico.com/loja/alimentos/insetos.html). Ok!
    Basicamente é isso qualquer dúvida é so falar. Abraço e sucesso com a criação.

    ResponderExcluir