quarta-feira, 3 de julho de 2013

Obesidade em Trinca Ferro

Por
Dr. Felipe Victório de Castro Bath

Olá prezados amigos e leitores! Hoje o meu abraço especial vai para o Joaquim Picinini do Criadouro Picinini que me acolheu de braços abertos como se fosse da família neste ultimo mês permitindo que continuasse com uma sede na Tijuca. E um salve especial aos "nossos" funcionários Dra. Caroline (Esposa), Dr. André, Cristiane, Kerline, Tiago, Kaé e Tania. Por isso hoje temos atendimento diário, abrindo aos Domingos. Para aqueles que não sabem ainda estou de endereço novo. Chega de choradeira que o assunto é serio. Hoje abordaremos obesidade em trinca ferro.

Já perceberam um fato interessante que a grande maioria das aves obesas é trinca ferro?! Para ser sincero conto nos dedos os cúrios e bicudos obesos que atendi ou que a queixa principal seja essa. Interessante né!? Por que só em Trinca Ferro?!
O erro de manejo alimentar é a principal causa. Nenhuma ave nasce gorda. Nós somos o que comemos e isso vale para nossas aves. Nos tempos do meu avô gordura era saúde, mas os tempos mudaram bastante. Com o advento de empresas especializadas em nutrição animal e profissionais qualificados a qualidade do que é ofertado aos nossos animais melhorou muito.

Entendam de uma vez por toda que ração de acordo com o nosso dicionário é o que se dá de alimento aos nossos animais. Esta ração pode ser extrusada ou não. Outro fato interessante é observar que um Trinca Ferro é um animal onívoro por natureza alimentando-se de frutos, insetos ou ate mesmo de ovos/filhotes de outras aves. O que não entendo é porque no cativeiro as pessoas tentam fazer diferente.

Trinca Ferro deve comer frutas todos os dias! Parece obvio, mas a grande maioria não respeita isso. E não é um pedacinho pequeno. Deve estar a disposição pedaços grandes e pelo menos 3 opções no total de frutas, verduras e legumes. Com isso você estará evitando problemas como Pivite (A Verdade sobre Pivite em Trinca-ferro!) que já abordamos aqui e já sabemos que não é causado por verme, candidíase ou deficiência de vitamina A certo!? Vamos ter um pouco mais de senso crítico em nossas colocações.

A fruta apesar de doce não vai engordar sua ave. Normalmente o açúcar da fruta é frutose e de rápida absorção. Quando comemos uma fruta após poucas horas já estamos com fome novamente. Logicamente o excesso como qualquer outro açúcar pode ser convertido em gordura, mas a ave possui um metabolismo muito mais acelerado que o nosso e o seu consumo é muito mais eficiente que o nosso. Dentre outros fatores a ave ingerir frutas não levará a obesidade.

Vamos diferenciar frutas cristalizadas de frutas desidratadas. Vejo muitas rações (extrusadas ou não) que lançam mão delas. As frutas desidratadas o próprio nome já diz sofreu apenas desidratação o que acaba concentrando o açúcar já presente nela ainda mais. Porém, não fara nenhum mal para a ave. Além de se tornar um atrativo para a ave. Já nas frutas cristalizadas ocorre a substituição parcial da água do fruto por açúcar, ou seja, ocorre a adição de açúcar no mesmo. Isso é péssimo para a ave e com certeza reverterá isso em gordura posteriormente.

Não estou aqui para fornecer a receita do bolo para vocês e sim para fazerem pensar e argumentar. Manejo alimentar é de uma complexidade incrível e cada caso é um caso. Isso é papel de seu médico veterinário especializado ou de um zootecnista.

Outro fato interessante é o uso de sementes na dieta. Eu particularmente defendo o seu uso de forma racional. Já publicamos um artigo aqui sobre o assunto (O Mito sobre o uso de Sementes na Dieta das Aves), mas o grande vilão são as sementes ditas oleosas como o girassol que possui alto teor de lipídeos. E a sua ave adora assim como nós adoramos uma picanha bem suculenta. Apetite por sódio e gordura fascina muitos. Existem opções mais saudáveis do que o girassol como o cártamo. Mas lembre-se que devem existir lipídios na dieta.  Não estou aqui para julgar qualidade de nenhum tipo de ração ou mistura. O grande problema das sementes oleosas e misturas é o alto índice de contaminação por micotoxinas quando não de qualidade e o teor de gordura de forma geral.

O uso de fontes proteicas é uma ótima opção, mas lembre-se que as necessidades nutricionais de uma ave aqui no Brasil não é a mesma de uma ave na Europa por exemplo. Por isso o uso de farinhadas e outras fontes proteicas como ovos e tenébrios também requer atenção e uso racional.

Uma dieta equilibrada é a melhor opção. Uma ave obesa normalmente superaquece e você tem azoospermia no macho. Na fêmea a gordura fica em volta do ovário atrapalhando a ovulação ou fazendo ovulação ectópica. O melhor tratamento é dieta e exercício.  Outros problemas interferem na reprodução também. Mas o surgimento de calosidade nas patas é sem duvida o principal problema de se ter uma ave obesa. Além da falta de preparo físico, etc.. Procurem auxílio de seu médico veterinário especializado de confiança. Despeço-me por aqui e deixo o pensamento do dia: "A confiança em si mesmo é o primeiro segredo do sucesso." Um forte braço e até a próxima.



Teve alguma dúvida?! Então deixe um comentário!


Dr. Felipe Victório de Castro Bath
Médico Veterinário CRMV-RJ 8772
Especialista em Biologia, Manejo e Medicina da Conservação dos Animais Selvagens SENAC/RioZOO
Mestre em Microbiologia Veterinária pela UFRRJ

Tel.: (21)81014122/ (21)78795270
ID.:10*96860 / (21)22786652
felipebath@hotmail.com / www.niaas.com.br
Rua Campos Sales, 109 Tijuca Rio de Janeiro – RJ  CEP.: 20550-160 

Nenhum comentário :

Postar um comentário