segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Onfalite, ou infecção no umbigo



Você nunca viu e pode até achar engraçado, mas as aves têm umbigo sim e este local pode ser uma porta de entrada para diversos problemas ,que podem afetar a saúde do pássaro, entre eles a "onfalite" . Confira! 

Parece estranho falarmos de onfalite que nada mais é do que a inflamação do umbigo podemos pensar ..." umbigo de aves?" . Sim é verdade as aves possuem umbigo e é por ele onde passa o "alimento" para dentro do filhote que está se formando no interior do ovo. Quando os filhotes estão prestes a nascer ocorre um "englobamento" do resto da gema do ovo para dentro do abdômen e este local por onde havia a abertura para entrada do alimento do filhote se fecha , formando-se assim o umbigo . Assim determinado o sentido em "onfalite" que é caracterizada pela inflamação ou infecção desta abertura , antes de cicatrização dos mesmo , em aves recém-nascidas. 

A causa esta associada ao excesso de umidade e alta contaminação do ninho podemos citar vários fatores que facilitam a contaminação do ninho, como: má higiene, aves com diarreia, água contaminada, entre outras. E excesso de umidade pode estar associada a uma deficiente aeração local; local com umidade excessiva , local frio aonde água tem dificuldade de se evaporar, entre outros . 

A onfalite não é uma doença de característica infecciosa, ou seja não passa de um filhote para outro . O que ocorre é a contaminação do umbigo da ave por bactérias oportunistas, como: os coliformes fecais, " Sthaphylococcus" , " Pseudomonas" , "proteus" , entre outras bactérias , icasuibabdi a bçai cucatrização do local e assim se instalando a doença. 

Nesta fase, qualquer forma de estresse ao filhote facilita o agravamento da doença e isso pode aumentar a agressividade da mesma , causando um maior número de mortes. 

Mudanças climáticas com calor e frio, má alimentação, muito barulho,piolhos (que expulsam a fêmea do ninho e enfraquecem os filhotes), água suja ou contaminada com fezes ou outras sujidades , fazem com que a resistência do(s) filhote(s) caia levando a facilitação da onfalite ou mesmo à sua progressão e morte. 

Como sinais clínicos podemos encontrar:

  • Aves deprimidas que não possuem forma para pedir comida e vão a óbito.
  • Aves com caraterísticas totalmente normais e após algumas horas vão a óbito. 
  • Aves com o umbigo inflamado e às vezes com secreção e crostas. 

Podemos encontrar outros sinais, mas teremos de ficar com uma visão mais atenta, pois são sinais internos, como: 

  • Prevenção de saco de gema ( que é o reservatório do resto da gema do ovo que nutre o filhote após o nascimento) não absorvido e às vezes com rompimento e " vermelhão" local , o que pode provocar uma inflamação dos tecidos e inchaço. 
  • Peritonite (que é a inflamação da " pele" que envolve os órgãos internos ) o que leva ao enfraquecimento e morte do filhote.
  • A morte dos filhotes pode ocorrer até alguns dias após o nascimento. 
  • Filhotes que resistem, mas normalmente são mais fracos e débeis. 

O diagnóstico é baseado na história , nos sinais clínicos e nos achados de necropsia das aves mortas. 

O tratamento é pouco eficaz por ser um problema que afeta a ave em uma fase da vida muito delicada , na qual a resposta deixa a desejar e a recuperação é difícil . O melhor meio de nos protegermos desta doença é dificultamos a sua entrada,  isso como cuidados para dificultarmos que os ninhos e ovo se sujem e facilitem a contaminação dos filhotes. 

A profilaxia ou prevenção é baseada em não permitirmos que ocorra a contaminação dos ovos em choco e dos filhotes ao nascerem . É um processo difícil e não depende somente de nossa boa vontade, pois há vários aspectos que não devemos esquecer:

  • Temos que observar os hábitos de higiene da fêmea com relação ao ninhos e filhotes e sua alimentação. 
  • Temos que ter cuidado com os ninhos e fazer a sua troca e desinfecção de modo periódico, pois são determinantes no controle de doenças. 
  • Gaiolas com fundo em grande para minimizar o contato da fêmea com os seus excrementos (fezes e urina). 
  • Água e alimento de boa qualidade oferecidos de forma que não fiquem expostos a contaminação de fezes de animais que habitam a gaiola ou viveiro. 
  • Prevenção e controle de doença que possam afetar a higiene das gaiolas , viveiros ou mesmo ambiente nos quais as aves são alojadas. Doenças como coccidiose, giardíase, enterites (diarreia) bacterianas, verminoses , entre outras. 
  • Limpeza de ambiente, acessórios (banheiras , comedouros , poleiros , unhas , porta vitaminas, ....) , gaiolas , entre outros. 

Como vimos a doença é integrada, pois quando encontra as condições favoráveis para o seu desenvolvimento afeta as aves de um modo agressivo e as expectativas de recuperação são mínimas. Assim devemos ter cuidado de tentar manter o local o mais limpo possível, para que minimizemos o aparecimento e incidência do problema em nossos plantéis. Vale ressaltar que no caso de ovos que são colocados para chocar em chocadeiras, devemos ter um cuidado especial com a higiene da mesma pois é um foco comum de contaminação de ovos e filhotes recém-nascidos. 

Em caso de dúvidas ou quaisquer problemas sempre procure o auxílio de um Médico veterinário.


--
Fonte: Exoti Parrot Park - Disponível em: http://exoticparrotpark.blogspot.com.br/2013/09/umbigo-onfalite.html. Acesso em 10 de dez. de 2013.

Um comentário :

  1. meu trinca ferro,esta rouco desde que saiu da muda.não seio mas o que fazer. já usei allax varias vezes sem resultado.usei mel com própolis ,antibiótico ,remédio para vermes e etc...
    meu trinca cantava alto ,era rápido e tinha muita ordem.estou desanimado em criar trinca ferro.

    ResponderExcluir