quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Gaiolas x Drogas

Por
Edilson Guarnieri 

Todos nós criadores, assim como a população brasileira nos deparamos esses dias atrás com uma propaganda veiculada em todo país em pró da campanha contra drogas, sobretudo o crack, que vem assolando grande parte da sociedade brasileira. Essa campanha é promovida pelo Ministério da Justiça, e como é de praxe foi idealizada por alguma agência de publicidade.

No clipe, aparecem pessoas abrindo gaiolas proporcionando uma liberdade fictícia, relacionando pessoas drogadas à sua liberdade, de conseguir se libertar do vício das drogas.

Fica aqui registrado nosso repúdio a essa malfadada ideia que associou "gaiolas" a drogas. Tenho passarinhos desde menino e nunca um criador me ofereceu nenhum tipo de droga. Já me ofereceram drogas sim, mas foram outras ocasiões, em outros ambientes e sempre tive força de rejeitar, nunca por nenhum criador.

Criação de pássaros em gaiolas, seria no meu entendimento uma ferramenta valiosíssima para desviar interesse de crianças sobre drogas, para ajudar a ocupar as atividades comportamentais, cognitivas e ainda uma influência benéfica na formação da personalidade do indivíduo, atribuindo a ela uma responsabilidade de cuidar de uma vida completamente dependente, e que quando o cuidado for correto essa criança será premiada com o nascimento de filhotes ou até mesmo a conquista de um troféu em um torneio, e o que uma campanha imbecil sugere é justamente o contrário, associando gaiolas às drogas.

Lamentável como as pessoas são desprovidas da capacidade de pensar e não conseguem entender que uma criança cuidando de uma criação de passarinhos na sua casa, todos os dias, como se demanda, teria infinitamente menos chances de se envolver com coisas ruins.

Eu desde meus dez anos de idade acordava todos os dias as 6 da manhã para cozinhar ovos e fazer farinhada fresca para os filhotes. Sobre drogas eu só escutava falar. Nunca tive nem curiosidade. Não consigo entender por que nesse país nós, criadores de pássaros somos tão demonizados, prática muito comum em tantos países como EUA, tantos outros da EUROPA, que criavam passarinhos antes da descoberta do Brasil.

É tão difícil assim aceitar que passarinhos são animais de companhia? Só por que voam não podem viver em ambientes domésticos? Existe alguma espécie que, em algum dia só não existia em estado selvagem? Sem a criação profícua, o dia que espécies se extinguirem na natureza serão extintas do planeta.

Ainda há tempo!

--
Fonte: Editorial - Revista Passarinheiros&Cia - Nº 75 - Ano XII.

4 comentários :

  1. Bom dia há todos, Eu sou criador de pássaros e não conseguir enender essa concepção sua de drogas com a criação de aves, infelizmente essa é uma realidade devastadora de nossos jovens de todo o mundo a associação a esse tipo de comportamento. Pois entendi que a gaiola representa prisão que é uma verdade independente de servir para criar pássaros, ratos, ramister ou pessoas que usando drogas podem acabar presas, há respeito das aves todos sabem que elas representam liberdade quando estão soltas, em seus habitat.
    Meu camarada vamos para de nos achar que somos marginalizados por criar pássaros, vamos deichar de ser coitadinho e vamos cuidar de ossas vidas, tem gente que adora animais e outras não gosta nem delas mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Pessoal, também não gostei da propaganda. Mas, fazer o quê? Também gosto de criar pássaros desde criança, e não vou deixar nunca. O IBAMA deveria pensar melhor neste sistema de repressão aos criadores, e resolver o problema do tráfico de animais silvestre entre outros.

    ResponderExcluir
  3. meu amigo cassio e brigida ele só quis dizer que uma criança que se criar em um ambiente onde existir uma criação de aves a chance de se envolver com drogas é bem menor,e eu concordo

    ResponderExcluir
  4. Vi o comercial e constatei que associam a gaiola a uma prisão solitária. Não vi associação à droga, mas vi, sim, a associação da criação de pássaros (em gaiola) a idéia de que é errado, de que é ruim. Muitos viciados queriam ter a vida, o amor, o zelo e os cuidados que nossos pássaros tem. Repudio esta propaganda, mas ao mesmo tempo, vejo que nós passarinheiros somos incapazes de ir numa escola mostrar que ter um pássaro de estimação é tão saudável quanto ter um cachorro tanto para o "dono" quanto para o pássaro. Portanto, temos culpa da propaganda existir. Sempre que posso vou buscar minha filha na escola com um pássaro na mão... minha criação é legalizada, não tenho nada a temer e as crianças adoram. Fica a dica.

    ResponderExcluir