sábado, 12 de setembro de 2015

Consanguinidade em Aves - Uma Reflexão.

Por
Dr. André Salabert


Olá Leitores, hoje trago informações sobre consanguinidade, que é nada mais nada menos do que o grau de parentesco entre indivíduos que possuem ascendência comum, ou seja, os mesmos pais. Esse grau de consanguinidade pode ser alto quando os indivíduos são irmãos, por exemplo, ou mais baixo quando são primos, e por ai vai. 

O cruzamento entre animais com algum grau de parentesco ocorre comumente em algumas criações, principalmente de aves, assim como ocasionalmente ocorre com aves de proprietários desavisados que acabam por deixar aves de sexos opostos e com grau de parentesco alto na mesma gaiola, resultando em filhotes de aves com alto grau de consanguinidade.


Pois muito bem, e em que isso irá influenciar Dr?? Os filhotes de animais com alto grau de consanguinidade podem apresentar doenças genéticas, a prole de casais consanguíneos apresenta risco aumentado de malformações congênitas (malformações presentes ao nascimento) e, principalmente, de doenças autossômicas recessivas. No português claro, animais que são filhos de irmãos tem uma chance muito maior de ter malformações congênitas do que filhotes de animais que não apresentam nenhum tipo de parentesco.

Atualmente ocorre uma busca por animais com características especificas de algumas raças, ou por um animal que cante mais e melhor, como acontece no caso das aves canouras, e isso acaba fechando muito o grau de parentesco dos progenitores desses animais. Esse processo acaba fazendo com que animais com um grau de consanguinidade relevante acabem procriando, e com isso animais com doenças congênitas acabam sendo um achado cada vez mais comum nas criações.

Os problemas mais comuns observados na clínica são as más formações, animais que nascem com problemas de aprumo, membros a mais ou a menos, e por ai vão. Mas além desses tipos de problemas também podemos ter animais com doenças tão sérias a ponto de ser incompatíveis com a vida, e o animal acaba por morrer ainda nas primeiras horas de vida, isso quando não acaba por ser abortado.

Para evitar esse tipo de problema é relativamente simples, não deixe que animais com alto grau de parentesco cruzem e gerem filhotes, e no caso de criadores é sempre muito importante a presença de um médico veterinário para avaliar quais animais devem ir para a reprodução e quais não, para que esse tipo de problema não acometa seu plantel.

Nenhum comentário :

Postar um comentário