sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Aptidão para Fibra

Por
Gilson Ferreira Barbosa


1. Critérios de Seleção:

“A fibra” embora seja um conceito intuitivo e de fácil compreensão, não nos tem permitido avançar no seu estudo por questões de “Gênese”. A complexidade que envolve o conceito “Fibra” é fator inibidor e porque não dizer desestimulador das manifestações sobre o assunto, daí, supormos a existência de “Técnicas & Manejos” inconfessáveis por parte daqueles que as usam e conseguem extraordinário sucesso nos Torneios. (Competição de Roda)

A conceituação da “Fibra” e aí generalizo (Trinca-ferro, Curió, Bicudo, Coleiro, Azulão Sicalis etc.) é o principal fator de entendimento das bases que levará um criador a proceder a uma seleção criteriosa para obtenção de bons pássaros de fibra. (para competição de “Roda”).

Precisamos em primeira instância estabelecer quais “Fatores de Qualidade” deverá possuir determinado pássaro para qualificar-se como “Pássaro de Fibra” (para competição de “Roda”). A identificação destes “Fatores” e a sua priorização no plantel, bem como os percentuais de ocorrências destes, para que o pássaro renda de forma satisfatória constitui a base da formação de um bom Exemplar de Fibra. (Para competição de Roda).

Faz-se necessário que se estabeleça quais fatores são Genéticos (Hereditários) e quais fatores são adquiridos mediante Manejo (Treinamento). É de suma importância na Fibra o conhecimento dos aspectos Genéticos e dos aspectos Adquiridos para que não se busque na genética comportamentos que só obteremos mediante muito condicionamento e treino. Esta distinção é fundamental, bem como, os métodos para sua obtenção. Sabemos que inclusive podem variar de um pássaro para o outro, isto em função do Gênero e dos percentuais genéticos dos ditos “Fatores” responsáveis pelo surgimento da Fibra.


2. Identificação e Determinação dos Fatores que compõem a Fibra:

A identificação e determinação dos fatores que compõem a Fibra de um pássaro (entendemos a “Fibra” como sendo a capacidade que determinado pássaro possui de manter por várias horas o seu temperamento valente, quando exposto à presença de seus semelhantes) podem ser observadas a partir de procedimentos práticos que nos levarão a identificá-los e qualifica-los quanto a sua presença e intensidade. Podemos ainda identificar os níveis de agressividade e eficiência na competição de Roda. Esta determinação dos fatores envolvidos na Fibra e portada por determinado pássaro, são medidos em função das suas reações na presença de um semelhante. Teremos aí alguns aspectos a observar:

2.1 - Aproximamos a gaiola de um pássaro adulto, a gaiola de um outro semelhante. Se ocorrer o “Atesto”, ou seja, ambos os pássaros atiram-se contra as grades da gaiola demonstrando valentia e agressividade “Física” a ponto de se mutilarem mutuamente caso ocorra o contato físico. Observamos aí a presença do “Fator de Ataque” que se externa como postura de defesa da Gaiola pela simples aproximação do semelhante. Neste caso, habituam-se a este comportamento e muitas vezes são estimulados (treinados) pelos seus proprietários a agirem desta forma como demonstração de “Valentia”. Esta prática é condenável e totalmente equivocada, pois, estimula o pássaro a desenvolver o fator de “Ataque Físico” inutilizando-o para o desenvolvimento do fator de “Disputa Canora”.

Pássaros viciados em “Atesto” com alto desenvolvimento do fator “Ataque Físico” geralmente se estressam com a presença do semelhante, apresentando um “Enfezamento” de tal ordem, que só após algum tempo, às vezes até horas, abrem o conto no estilo “Surdina” e apresentam um estado de agitação capaz de se auto demolir em muito pouco tempo. Outros só abrem o canto após passarem pela prova de “Atesto”, e necessitam deste estimulo com muita freqüência para se manter cantando. Pássaros dotados do fator “Ataque Físico” não desenvolvem satisfatoriamente o fator de “Disputa Canora” não atingindo a performance hoje exigida nos Torneios de Disputa de Fibra em Roda, com gaiolas desencapadas e aproximação lateral máxima de 20,0cm.

2.2 - Aproximamos a gaiola de um pássaro adulto, a gaiola de um outro semelhante. Não observamos propriamente um “Atesto” e sim um comportamento de “Armada”, “Pegada” ou “Presa”. Um dos Pássaros em questão efetua uma movimentação característica conhecida com o nome de “Armadilha” resultando na “Pegada” do adversário mediante a “Presa” conhecida como “Presa de Acorrentamento” neste caso não necessariamente ocorre o Fator de Ataque Físico e sim a “Pegada ou Presa”. Os pássaros que assim se comportam demonstram a sua valentia de forma bastante diferenciada daquela que buscamos desenvolver nas competições de Fibra mediante a disputa de canto, logo, pássaros com estas características não se enquadram no perfil exigido para Torneios de Fibra.

2.3 - Aproximamos a gaiola de um pássaro adulto, a gaiola de um outro semelhante. Aparentemente nada acontece!!! Percebemos uma certa indiferença entre eles, chegando a ponto de um posar de costas para o outro. Estaríamos a observar dois pássaros “Frios de Temperamento?” Talvez... Se logo em seguida um deles não abrisse o canto, para desespero do outro. Estamos finalmente a observar pássaros dotados do “Fator Fibra” aonde se estabelece a liderança sem lutas corporais, única e exclusivamente mediante o fator de “Disputa Canora” para estabelecimento da hierarquia e dominação.

A Disputa Canora entre pássaros neste caso é “Inata” e deve ocorrer sem “Atestos” ou provocações mediante posturas agressivas. O pássaro deve manter-se calmo e sem perturbações de qualquer ordem, o canto deve fluir impávido (sem pavor, destemido, afoito, intrépido denodado e ameaçador) e manter-se pelo tempo que se fizer necessário.

Mediante o exposto, podemos sem embaraço identificar se determinado Pássaro possui ou não aptidão para Fibra. É necessário que demonstre a presença do “Fator Fibra” em seu temperamento. A identificação do “Fator Fibra” é “Pré-Requisito” indispensável para que se possa iniciar um trabalho de condicionamento e treinamento na “Roda” objetivando dotar o pássaro em questão das condições necessárias a competição.

A complexidade do assunto bem como o equacionamento de todas as variáveis envolvidas no desenvolvimento da Fibra tem dentre muitas, uma de primordial importância que é a “Vetorização do Canto Fibra”, que deve ter características próprias e bem definidas como, por exemplo, ser "Curtíssimo e Ameaçador", dotado de alto nível de agressividade, se possível envolvendo sons emitidos pelos Predadores da Espécie em questão.

--
Gilson Ferreira Barbosa
gilsonferreirabarbosa@hotmail.com
Tel. (73)211-8233/(073)613-4442
Rua da Espanha, n° 86. Itabuna-BA. CEP- 45.605-130

Nenhum comentário:

Postar um comentário